Sul da Finlândia: guia de viagem

Em nossa viagem pelo mar Báltico e os países nórdicos visitamos também a Finlândia, um enorme país, de cidades pequenas e grandes florestas, com uma cultura mais do que interessante, gente tranquila de simples costumes e uma filosofia de vida que eu amava. A partir da educação, de que são o país mais avançado do mundo para a importância da cultura na sociedade, da conscientização ambiental e / ou tratamento e interesse que há por aqui os mais pequenos. Um país onde a natureza tem um papel muito importante e que oferece muitos atrativos, tanto no inverno, com seu clima extremo como no verão, com suas múltiplas possibilidades em torno do mundo natural. Nós, que por falta de tempo só conseguimos visitar o sul do país, nós pensamos em fazer um pequeno guia de viagem a modo de resumo com dados práticos que ajudem o viajante que você decidir visitar este encantador país nórdico.
Como chegar
O avião e o barco são os meios de transporte mais usados para entrar para a Finlândia. Atualmente, há uma grande quantidade de voos a preços muito bons, que ligam as principais cidades europeias com a capital, bem como com o norte do país (Lapónia).
Uma das formas mais usadas de entrada no país é por barco, já que o Mar Báltico une os diferentes países limítrofes, durante os 365 dias do ano. Nós viemos de barco a partir de Tallinn ( Estónia), em um dos muitos ferries que diariamente chegam a Helsínquia. Em apenas duas horas de percurso atravessa o mar Báltico, entre centenas de passageiros desesperados que bebem ( não todos, olho ) e compram álcool a preços livres de impostos.
Nosso Itinerário
Fomos visitar a parte sul do país e parte da região dos Mil Lagos já que não dispúnhamos de muitos dias: depois de ver a capital, Helsínquia, temos passado por Porvoo, Kotka, Laaperaanta, Mikkeli, Jyväskylä e Tampere em uma rota com carro de aluguer. Aqui vos deixo um mapa com um curso que eu recomendo já que combina várias cidades importantes, com natureza em estado puro.
Algumas cifras
– A finlândia tornou-se independente em 1917.
– Tem uma população de 5,3 milhões de habitantes e uma superfície de cerca de 340.000 km2.
– É membro da união EUROPEIA desde 1995.
– A capital Helsinki foi fundada em 1550 e atualmente tem uma população de 585.000 habitantes.
– Na capital há mais de 1000 restaurantes, 71 museus e 7 universidades.
Exigências para entrar no país: Os cidadãos da união europeia, apenas necessitam de bilhete de IDENTIDADE para entrar no país.
Clima: invernos muito longos, devido à sua latitude e muito frio, chegando a atingir no -25 graus no sul e os -40 no norte. No verão, as temperaturas rondam os 20 graus, e pode-se observar o fenômeno chamado sol da meia-noite.
Moeda: euro. O uso do cartão de crédito é muito comum por todo o país. De fato, eles usam quase mais do que o dinheiro ( como em muitos países nórdicos).
Diferença de Horário: GTM mais 2 horas no inverno e GTM mais 3 horas no verão. Para compreender, 1 hora em relação a Portugal.
Corrente elétrica: 220 volts, 50 Hz, com tomadas tipos C/F( tipo europeu). Mesmo tipo que a tomada português.
Segurança: É um país relativamente tranquilo. Tomar as precauções normais de qualquer viagem.
Saúde: não é exigida nenhuma vacina para entrar no país.
Emergências: o telefone de emergência é o 112 e o telefone de emergência da polícia, o 10022.
Horários das lojas: de segunda a sexta-feira das 09:00 às 20: 00. Sábados das 09:00 às 15:00/18:00. Domingos fechadas.
Preços: Finlândia não é exatamente um país barato. Como muitos países nórdicos a qualidade de vida é alta e os preços são mais elevados do que em Portugal. Uma dica para economizar em sua viagem é para comprar comida nos supermercados e desfrutar de um piquenique nos inúmeros parques que existem nas cidades. E eu vos advirto que o álcool é muito caro pelo que sair de noite vos pode sair por um pico…
Gorjetas: Não se costuma dar gorjetas, na Finlândia, embora se fica satisfeito com o serviço não está de mais.
Transporte: Mover o país é fácil, já que há uma boa rede de ligações, tanto rodoviário como por trem ou avião. Os trens ligam as grandes cidades e há ônibus que ligam os principais centros urbanos, mas eu recomendo alugar um carro ( mas os preços são bastante elevados), já que permite mover-se com liberdade para o país, coisa que para mim é muito importante. E cuidado nas estradas que há radares que “caçam” o mais sem noção. Para a capital, recomendamos a Helsínquia Card, que permite transporte ilimitado e entrada para museus.
Gastronomia
Tem influências da cozinha sueca, alemã e russa e está muito difundida a carne de rena, alce e até mesmo de urso. Também são muito típicas dos peixes como o salmão ou o arenque. Tudo isso acompanhado de frutos do bosque tão abundantes nestas terras ( morangos, amoras, mirtilos…). Alguns dos pratos mais típicos são o Smörgasbord ( canapés variados de carne, peixe e salada), o kalakukko ( peixe cozido dentro de um pão) ou um híbrido entre o hambúrguer e hot dog chamado porilainen. Em seus mercados de rua é o lugar onde melhor se podem provar as especialidades do país. E para beber, há cervejas nacionais como karhu ou o típico vodka finlandês. E quanto a doces, que são cerca de professores, tendes o salmiaki, a masculinidade negra de toda a vida que tanto gosto neste país.
Idioma: O finlandês é o idioma oficial e o inglês é falado por toda a população perfeitamente. É difícil e quase impronunciável ( pelo menos pareceu-me a mim). Não sou um grelhas de línguas, mas há cada palavra que é para fazer a tremer. Aí vão algumas palavras básicas que podem ser úteis:
Compras: Produtos típicos da gastronomia, como o salmão, o reno, artesanato, roupas de lã, madeira, peles e produtos de design, que para isso Finlândia é destacada neste aspecto.

Dormir
Como vos imaginam dormir aqui não é barato. Se, como eu vos importa o tipo de acomodação você vai encontrar bons albergues, a preços razoáveis, limpos e modernos. Os hotéis na Finlândia costumam ser mais caros e o acampamento é uma opção mais econômica e muito natural se os movéis por vossa conta pelo país.
Até aqui este pequeno guia de viagem do sul da Finlândia, um encantador e tranquilo país repleto de natureza, belas paisagens e boa gente. Eu tenho vontade de aproveitar mais de seus lagos e as florestas, de chegar à Lapónia, ver auroras boreais e andar de trenó, visitar a cidade de Turku…. Haverá que voltar, pois….
Mais informações na excelente página de Turismo da Finlândia, onde também, se vos preparais em contato com eles, os mandará para casa uma grande quantidade de folhetos, mapas e guias de todo o país. 10 para eles.




Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *